Congresso
Vocę Participaria de um Congresso Bíblico?
Sim
Năo
Ver Resultados

Partilhe esta Página



Total de visitas: 37810
Profecia
Profecia

PROFECIA:

conhecendo o Apocalipse

Muitos cristãos parecem confusos acerca do livro de Apocalipse. Alguns deles têm extraído errôneas e exageradas interpretações e terminado em diversas seitas que parecem prosperar com falsas visões desse livro. Outros têm medo até mesmo de lê-lo, crendo que somente uma pequena "elite" com grande educação pode dominar com real entendimento essas escrituras. O propósito deste artigo é dissipar tais temores com a apresentação de um simples esboço desse livro.

O propósito da profecia

Vamos, primeiro, considerar o que a profecia -não é . Ela não é dada simplesmente para satisfazer uma curiosidade, mesmo a curiosidade dos verdadeiros crentes no Senhor Jesus. É certo que um dos propósitos da profecia é desvelar eventos dos últimos dias; contudo, esse ainda não é o propósito principal da profecia.

O livro de Apocalipse claramente indica o propósito principal: "O testemunho de Jesus é o espírito da profecia" (Apocalipse 19:10). Este verso poderia também ser traduzido: "O espírito da profecia é o testemunho de Jesus". A saber, toda a essência e a substância da profecia deve direcionar a nossa atenção à Pessoa do Senhor Jesus Cristo. Ele é o Tema. o Alvo, o Centro e o Objeto de todas as expressões e revelações proféticas.

Deus não nos tem dado a profecia como uma "bola de cristal" para confundir as nossas mentes com um conhecimento dos acontecimentos futuros. Antes, Ele a deu para atrair os nossos corações para mais perto d'Aquele que encherá todo o universo com a Sua própria glória. Se nós não somos atraídos para mais perto do Senhor em nosso estudo das profecias, estamos perdendo o objetivo desse estudo.

Considere as primeiras palavras desse grande livro de revelações e retenha os seus grandes valores. "Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as cousas que em breve devem acontecer" (Apocalipse 1:1? Quão facilmente concluímos que esse livro meramente revela os acontecimentos e circunstâncias dos últimos dias, e assim fracassamos em assimilar o pleno impacto da expressão "revelação de Jesus Cristo". O sentido primário e essencial dessa expressão é que a Pessoa de Jesus é desvelada nesse livro de uma maneira não conhecida, até agora, no Novo Testamento. Ele é apresentado como o vindouro Rei e Juiz de tudo que é contrário e ofensivo a Deus. O Seu caráter nesse livro e a descrição dada de Si mesmo no capítulo primeiro confirmam isso.

Para estudar qualquer porção das Escrituras, é muito importante manejar "bem a palavra da verdade" (2 Timóteo 2:15) e compreender que a Palavra de Deus não é apenas uma miscelânea de pensamentos registrados por vários autores num estilo casual. A sua surpreendente estrutura testifica o fato de que Deus não é o autor de confusão, mas de ordem.

Um simples esboço

Apocalipse 1: 19 dá uma indicação clara das três divisões principais desse livro:

  1. As cousas que viste.
  2. As que são.
  3. As que hão de acontecer depois destas.

A primeira divisão (as coisas vistas) refere-se especialmente à visão que João teve do próprio Senhor no primeiro capítulo. É por isso passado. A segunda divisão (as coisas que são) diz respeito às cartas às sete igrejas da Ásia encontradas no segundo e terceiro capítulos. Isso involve o período presente da Igreja. A terceira divisão (as coisas que hão de acontecer) começa no quarto capítulo e vai até ao final do livro. É futuro, ainda para ser realizado.

A pessoa deve ver essas três principais divisões a fim de que possa entender e se beneficiar do estudo desse livro. Devemos também notar que a Igreja, tão freqüentemente mencionada nos capítulos 1 a 3, não é encontrada na Terra no capítulo 4 a 19: 14. O chamado para João: "sobe para aqui" no começo do quarto capítulo, tipifica o "arrebatamento" de todos os verdadeiros crentes no Senhor Jesus. Uma vez que eles se encontrem no céu, são incluídos aos vinte e quatro anciãos que são frequentemente mencionados no quarto capítulo em diante.

     Esses anciãos têm conhecimento e compreensão espiritual do que está acontecendo na Terra neste tempo. Eles são vistos assentados ao redor do trono, vestidos de branco e com coroas de ouro sobre as suas cabeças. Distintos dos anjos (vide Apocalipse                5: 11),         eles representam os santos ressuscitados (tanto do Antigo como do Novo Testamento).

Walter Scott, em seu livro "Exposição do Livro de Apocalipse", apresenta ainda outras diretrizes elementares para o entendimento desse livro.

Duas partes

Capítulo 1 ~ Capítulo 11:18 - Esta parte dá uma descrição geral da condição das coisas e os vários juízos de Deus. Começa desde a era apostólica e prossegue até o estado eterno.

Capítulo 11: 19 ~ Capítulo 22:21 - Esta parte enfoca os principais eventos e pessoas da "grande tribulação". As características do anticristo, da besta, do fiel remanescente de Israel e da cristandade são dadas com muitos detalhes. Esta parte também finda com o estado eterno (vide capítulo 21: 1-8).

Doze seções

Observem que o livro de Apocalipse não apresenta os acontecimentos dos últimos dias na ordem cronológica, desde o primeiro capítulo até o fim. Antes, pareceu bem ao Espírito de Deus "retroceder" a diferentes tempos e dar visão adicional dos períodos já abrangidos. Scott cita que há doze seções nas quais todo o conteúdo do Apocalipse está distribuído - o que, se cuidadosamente observado e dominado, facilitará grandemente o estudo do livro:

  1. Introdução - capítulo 1: 1-9.
  2. Descrição de Cristo como Aquele que está pronto para julgar - capítulo 1: 10-19.
  3. A igreja professa como um testemunho neste mundo desde Pentecoste até a volta de Cristo ­capítulo 2 e 3.
  4. Descrição do céu com o grupo redimido agora glorificado. Capítulo 4 apresenta Deus e o trono enquanto o capítulo 5 apresenta o Cordeiro e o livro.
  5. A primeira série dos juízos providenciais (os sete selos) ­capítulo 6 - 8: 1.
  6. A segunda série dos juízos (sete trombetas). Estes são mais intensos e especificamente direcionados ao restaurado Império Romano e ao incrédulo Israel - capítulo 8:2 - 11: 18.
  7. Esta seção apresenta as características· principais dos últimos dias e os vários acontecimentos: Israel perse­guido, o Messias e Satanás, a besta (figura de um poder político e militar que representa tanto o Império Romano restaurado como seu imperador), o anticristo ou o rei do apóstata Israel (um poder religioso que é também chamado de o falso profeta) capítulo 11:19 - 14.
  8. A terceira e a ultima série dos juízos leva-nos ao clímax da ira de Deus (sete f1agelos) -capítulo 15 e 16.
  9. Julgamento da falsa igreja (Babilônia, a Grande) em seu duplo caráter, como uma prostituta e como uma cidade - capítulo 17 e 18.
  10. O Rei (o Senhor Jesus Cristo) aparece com os Seus exércitos para julgar os Seus inimigos e estabelecer o Seu visível reino de glória. Os mortos 'incrédulos são julgados no dia do grande trono branco e o estado eterno começa (eterna bem-aventurança para os crentes, eterno juízo para os descrentes) - capítulo 19 - 21:8.
  11. Uma descrição da Noiva do Cordeiro (a igreja verdadeira) em sua glória administrativa, governando com o Senhor Jesus no Milênio - capítulo 21: 2 ­22:5.
  1. Epílogo, com admoestações e encorajamentos finais ­capítulo 22:6-21.

Alguns parenteses

Estes parênteses devem ser observados à medida que eles interrompem o curso normal dos eventos. Para ter a ordem cronológica, a pessoa deve ignorar esses parênteses:

Primeiro: Capítulo 7 - entre o sexto e o sétimo selo.

Segundo: Capítulo 10 ao 11: 13 - entre a sexta e a sétima trombeta.

Terceiro: Capítulo 11: 19 ao 15:4 - entre a sétíma trombeta e o derramar do primeiro flagelo.

Quarto: Capítulo 16: 13-16­entre o sexto e o sétimo flagelo.

Quinto: Capítulo 17 ao 19­10 - entre o derramar do sétimo flagelo e o aparecimento do Senhor.

- uma descrição da igreja reinando com Cristo.

Conclusão

Três vezes, no último capítulo de Apocalipse, o Senhor diz:

"Venho sem demora" (22:7, 12e 20). O inimigo pode tentar nos impedir de esperar pelo nosso bendito Senhor. Ele usará qualquer coisa em seu poder para nos impedir de viver na realidade dessa "bendita esperança" (Tito 2: 13). Ele usará até um cisco para nos distrair de olhar para cima, ou, se necessário, um colosso castelo. Ele quer impor temor e sugere que a Igreja passará pela grande tribulação. Ele usará a comodidade deste mundo para nos fazer esquecer a proximidade do retomo de nosso Senhor.

Que o Senhor nos ajude a tirar proveito do estudo das profecias a fim de que possamos ter um íntimo conhecimento de Sua Pessoa. Que haja em nós uma grande ânsia de ver a Sua face. Nós não esperamos por um acontecimento especifico, mas sim pela Pessoa de Cristo.

“Bem aventurado aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as cousas nela escrita, pois o tempo está próximo.”
Apocalipse 1:3

“ Adora a Deus Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia”
Apocalipse 19:10

 

André Lebrun

 

A origem demoníaca da astrologia