Congresso
Vocę Participaria de um Congresso Bíblico?
Sim
Năo
Ver Resultados

Partilhe esta Página



Total de visitas: 55236
OFERTANDO A DEUS
OFERTANDO A DEUS

OFERTANDO A DEUS

O conceito do "dízimo", sua origem.

A primeira menção nas Escrituras está em Gênesis 14:20, (1) logo após Abrão haver resgatado Ló. Melquisedeque, rei de Salém, abençoou a Abrão e de tudo deu-­lhe Abrão o dizimo (em hebraico a palavra significa décima parte). Mais tarde, quando Jacó estava a caminho de Padã-Arã, prometera a Deus a décima parte de tudo que Ele lhe concedesse (Gn 28:22). (2)

A lei exigia a décima parte:
"Certamente darás os dízimos de todo o fruto das tuas sementes, que ano após ano se recolher do campo. E, perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu cereal, do teu vinho e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas, para que aprendas a temer ao Senhor teu Deus todos os dias" (Dt 14:22-23). Deus queria de volta 10% da renda que Ele concedia a Seu povo. Note, portanto, que por princípio o dizimo não era visto como a sobra, as migalhas, porém as primícias!

Mais tarde, Salomão escreveu:
"Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares" (Pr 3:9-10). Este mais sábio dos homens não somente diz para dar, mas enfatiza dar as primícias de nossa renda. Deus quer as primícias - não as sobras. Então bênçãos são prometidas, embora elas possam não ser agora materiais, como eram no Antigo Testamento.

 

Em que eram usados os dízimos?

Debaixo da lei, os dízimos eram dados aos levitas pelo serviço que prestavam no Tabernáculo (Nm 18:21)  (3).  Desde que lhes era exigido trabalhar tempo integral para o Senhor, eles eram sustentados pelas outras tribos restantes. Contudo, mesmo a eles era ordenado dizimar ao Senhor (v. 26)  (4). O rei Joás de" Judá usou o dinheiro arrecadado no templo para reparação e conservação da casa do Senhor(2 Cr 24:10,12). (5)

Malaquias diz ao abatido e disperso Israel que tinha roubado a Deus ao reter os dízimos e as ofertas, e fora desse modo amaldiçoado (MI 3:8-10). (6) Ademais, ele afirma que se eles trouxessem os dízimos, o Senhor lhes abriria as janelas do céu e derramaria bênção sem medida.

O conceito aqui é que Deus quer uma porção daquilo que Ele tem dado a Seu povo. Esta é uma constante lembrança de que tudo que eles têm, provém do Senhor. Desse modo Ele mal pode esperar para abençoar em resposta ao que eles devolvem.

 

Qual a determinação para os dias de hoje?

Não estamos mais debaixo da lei: Rm 8:2 e 4. Alguma coisa disso aplica-se a nós? Embora Deus não mais requeira dez por cento de nossa renda, é Seu desejo que correspondamos às Suas muitas dádivas a nós. Nós temos a liberdade cristã de exceder em graça a demanda da lei e dar mais que dez por cento! A mulher de Lucas 21:1-4 (7) deu tudo que tinha, sobrepujando os ricos em suas ofertas - não em quantidade, mas tanto em porcentagem como em atitude. O sacrifício desta mulher agradou ao Senhor, e sem dúvida ela foi abençoada por isso.

Como podemos dar ao Senhor? Servimos ao Senhor servindo outros, e damos a Ele repartindo com outros, quer individualmente quer coletivamente na assembléia. A Igreja primitiva era uma comunidade participativa, na qual os crentes tinham todas as coisas em comum; alguns até vendiam as suas posses e distribuíam aos necessitados que havia entre si (Atos 4:32-35) (8).

 

A quem devemos dar?

Em Romanos 12:8 (9), a contribuição é relacionada com outros dons da Igreja, e o doador é exortado a fazer com liberalidade. O versículo 13 (10) nos instrui a ajudar os santos necessitados. É dito aos ricos serem "generosos em dar e prontos a repartir" (1 Tm 6: 18). O apóstolo João até vai mais longe ao exortar que se alguém vir o seu irmão padecendo necessidade e não ajudá-lo, "como pode permanecer nele o amor de Deus?" (1 Jo 3:17). O plano de Deus para os crentes é definitivamente a provisão das necessidades uns dos outros, tendo em vista "também cada qual o que é dos outros" - segundo a mente de Cristo Jesus (Fp 2:4-­5). (11)

Não nos é dito para ajudar materialmente somente os cristãos necessitados. Os obreiros espirituais devem ser sustentados pelos que se beneficiam de seus ministérios espirituais (1 Co 9:11-­14) (12), semelhante ao modo em que os levitas - os envolvidos no serviço do Tabernáculo e do templo - eram sustentados pelas outras tribos israelitas. Naturalmente isso se aplica também aos missionários e obra missionária, ainda que os seus mantenedores possam não se beneficiar diretamente de seus labores. Os anciãos que governam bem, que labutam na Palavra e no ensino, são dignos de duplicada honra, a saber, respeito e sustento (1 Tm 5: 17). (13)

Ademais, somos.exortados a fazer "o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé" (GI 6:10). Isso significa que devemos ajudar qualquer pessoa necessitada, não apenas os crentes. Provérbios 22:9 (14) e 28:27 (15) falam do abençoado resultado de dar aos pobres.

Desde que Deus promete prover as nossas necessidades, Ele espera de nós - de nossa fartura - ajudar a suprir as necessidades dos outros. Podemos ser o instrumento em Suas mãos para satisfazer a necessidade de alguém! Podemos ser parte do cumprimento de Sua promessa a eles!

 

Como devemos dar?

Demos uma olhada em alguns versículos que mais exatamente tratam do assunto de dar.

Observem alguns pontos contidos nestes versículos:

  • Devemos dar regularmente (l Co 16:2) (16). Os cristãos primitivos em Corinto deviam pôr de lado alguma coisa a cada dia do Senhor (17), a fim de que Paulo levasse essa coleta para a necessitada assembléia em Jerusalém. Nada esporádico ou impulsivo devia ser feito, mas de preferência por meio de um plano, com um propósito.
  • Devemos dar proporcionalmente (1 Co 16:2). A oferta de todos devia ser conforme a sua prosperidade ­a saber, uma porcentagem de seus ganhos daquela semana. Se seus ganhos eram grandes, sua oferta era grande, e vice-versa. Não espere até que você tenha mais dinheiro para dar ao Senhor a Sua porção - seja fiel com o que você tem agora. Caso Ele lhe dê mais algum dia, então você poderá devolver mais a Ele!
  • Devemos dar generosamente (2 Co 8:2) (18). Os irmãos da Macedônia deram generosamente, apesar de sua profunda pobreza! Que exemplo para nós, que frequentemente hesitamos dar até mesmo as sobras. No versículo 7 Paulo considera o dar como sendo uma graça - paralelo à fé, palavra, saber, cuidado e amor; e ele nos encoraja a cultivar isso na prática.

O próprio Cristo é o nosso perfeito exemplo em tudo, e certamente no dar. Ele deu tudo que pôde - a Si mesmo, Se fez pobre (por um tempo) para nos fazer ricos. Desperta isso alguma resposta de amor em nossos corações? Queremos por nossa vez compartilhar aquilo que Ele nos tem dado com alguém necessitado?

  • Devemos dar realisticamente(v.12) (19).A oferta deve ser daquilo que temos. Isso pode soar absurdo, mas como podemos dar o que não é nosso? Você já ouviu alguém dizer: "Se eu tivesse um milhão de dólares, daria a metade para a obra do Senhor"? Este tipo de "desejo de dar" soa impressionante, mas não custa nada e muito menos realiza. A maioria das vezes não passa de uma desculpa. Qualquer um pode dar algo que não é seu. Quanto estamos dando daquilo que temos - daquilo que o Senhor nos tem dado? (Lc 21:1-4) (20).

 

Quais são os resultados do dar?

Uma das belezas de compartilhar é a correspondência que resulta disso. Uma pessoa com mais do que necessita pode dar a alguém que tem menos do que necessita (2 Co 8:14) (21). Isso tem um efeito igualador como também o de união entre os dois num relacionamento de complementação mútua - muito salutar no corpo de Cristo!

Qualquer coisa feita para Cristo trará sua recompensa. Dar não é diferente. Deus abençoará ricamente o que dá generosamente (2 Co 9:6) (22). Pode ser que as bênçãos não sejam da mesma forma que as ofertas; mas elas sempre sobrepujarão a soma da oferta. As nossas bênçãos são espirituais, nas regiões celestiais em Cristo (Ef 1:3) (23).

Embora Deus possa usar o nosso donativo - não importando como o damos - (e contanto que ele não seja o resultado de uma aquisição pecaminosa), é nossa atitude que determina a apreciação da bênção de Deus a nós. Deus pode fartar o que dá alegremente com gozo e satisfação indescritíveis. Além do mais, esta bênção é proporcional ao custo a nós (2 Sm 24:24) (24). Deus ama os sacrifícios e recompensa os tais. "Dar até doer" realmente agrada o nosso Pai, porque isso é exatamente o que Ele fez ao dar Jesus.

Se Deus nos tem dado em abundância - mais do que necessitamos -, é precisamente a fim de que possamos dar. Ele nos tem enriquecido a fim de que possamos ser generosos para com outros, não apenas para que desfrutemos de conforto.

O que acontece quando damos?

Bênçãos.

Especialmente se temos seguido as diretrizes citadas anteriormente.

  1. São supridas as necessidades daquele que recebeu o beneficio. Aquele que estava necessitado já não está mais. Deus tem nos usado para suprir essa necessidade.
  2. O doador é enriquecido.
    Deus não apenas nos abençoa, mas nos dá mais a fim de que possamos dar mais. Isso parece como um ciclo vicioso? De fato é um ciclo vitorioso!
  3. Deus é agradecido e glorificado por aquele que foi favorecido, e também pelo doador e pelos outros que observam este maravilhoso plano de ter tudo em comum na família de Deus. Os descrentes só podem se maravilhar!

Na sociedade consumista de hoje em dia, é muito fácil nos tomarmos escravo de nossos bens e desejos..., e constantemente envolver-nos em dividas. Por qual razão? É para satisfazer as nossas necessidades ou nosso querer? Se o nosso custo de vida não nos permite dar regular e proporcionalmente à obra do Senhor, então é porque estamos vivendo em padrões mais elevados do que o que Deus tenciona para nós.

Estamos nós devolvendo alguma coisa daquilo que Deus nos tem dado? Não espere - comece hoje! O Senhor Jesus Cristo, enquanto na Terra exemplificava o ato de dar, disse: "Mais bem-aventurado é dar que receber" (Ato 20:35) e "de graça recebestes, de graça dai" (Mt 10:8).

T. V. R.

 

CONSIDERAÇÕES COMPLEMENTARES

Lembremos que o Novo Testamento não demanda quantias, cotas ou porcentagens para qualquer propósito de colaboração com a obra do Senhor. O dizimo legal está abolido na Nova Aliança: segundo 2 Coríntios 9:7, a contribuição agora é de estipulação voluntária:
"Cada um contribua segundo tiver proposto no coração ... "

1- “... e bendito seja o Deus A1tlsslmo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dizimo”.
2-  “... e de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dizimo."
3-  Aos filhos de Levi deitados os dízimos em Israel por herança, pelo serviço que prestam, serviço da tenda da congregação.

4- "Quando receberdes os dízimos da parte dos filhos de Israel, que vos dei por vossa herança, deles apresentareis uma oferta ao Senhor; os dizimas dos dízimos. "
5- "Então todos os príncipes e todo o povo se alegraram e trouxeram o Imposto e o lançaram no cofre, até acabar a obra ... O qual o rei e Joiada davam aos que dirigiam a obra e tinham a seu cargo a casa do Senhor; contrataram pedreiros e carpinteiros, para restaurarem a casa do Senhor, como também os que trabalhavam em ferro e em bronze, para repararem a casa do Senhor. "  e  "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós bênção sem medida. "
7-  "Estando Jesus a observar viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar as duas pequenas moedas e disse: Verdadeiramente vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento."

8- "Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das cousas que possuia; tudo, porém, Ihes era comum. Com grande poder os apóstolos davam o testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuiam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes e depositavam aos pés dos apóstolos; então se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade.
9- "... o que contribui, com liberalidade”.
10- "Compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade” .
11- "Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros. Tendo em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus”.
12- "Se nós vos semeamos as causas espirituais, será multo recolhermos de vós bens materiais? Se outros participam desse direito sobre vós, não o temos nós em maior medida? Entretanto não usamos desse direito; antes suportamos tudo, para não criarmos qualquer obstáculo ao evangelho de Cristo. Não sabeis vós que os que prestam serviços sagrados do próprio templo se alimentam; e quem serve ao altar, do altar tira o seu sustento? Assim ordenou também o Senhor aos que pregam o evangelho, que vivam do evangelho.

13- "Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários (honra ou remuneração) os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino”.

14- "O generoso será abençoado, porque dá do seu pão ao pobre”.
15- "O que dá ao pobre não terá falta, mas o que dele esconde os seus olhos será cumulado de maldições”.
16- "No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade...”
17- O primeiro dia da semana, a saber, o domingo. (N. do T.)
18- "Porque no meio de multa prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade”.

19- "Porque, se há boa vontade, será aceita conforme o que o homem tem, e não segundo o que ele não tem."
20- "Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar as duas pequenas moedas e disse: Verdadeiramente vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que Ihes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento.
21- "Suprindo a vossa abundância no presente a falta daqueles, de modo que a abundância daqueles venha a suprir a vossa falta, e assim haja igualdade.'

22- "E isto afirmo: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura, com abundância também ceifará.”
23- "Bendito ° Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo."
24 "Porém o rei disse a Araúna: Não, mas eu to comprarei pelo devido preço, porque não oferecerei ao Senhor meu Deus holocaustos que não me custem nada. Assim Davi comprou a eira, e pelos bois pagou cinquenta sidos de prata."

 

O Valor das duas Pequenas Moedas