Congresso
Você Participaria de um Congresso Bíblico?
Sim
Não
Ver Resultados

Partilhe esta Página



Total de visitas: 55084
A Esperança Cristã
A Esperança Cristã

A ESPERANÇA CRISTÃ

UMA PANORÂMICA DIDÁTICA DA PROFECIA – (2.b)

O DIA DO SENHOR



"Não, não poderia ser esse o significado, pois relativo àquela classe de crentes, (n.t.: os convertidos pelo evangelho do reino, apregoado após o arrebatamento) que haverão de passar pela grande tribulação, é dito que também para eles o dia do Senhor (os violentos juízos que acompanham a vinda do Senhor) sobrevirá como um ladrão, ou seja, inesperadamente. O Senhor não só vira como um ladrão de noite para os judeus descrentes (2 Pe 3, 10) e para aqueles que meramente se intitulam cristãos, aqueles que não foram arrebatados com a Igreja (Ap 3, 3); mas também para os judeus que se converterão (Mt 24, 43; Lc 12, 39) e aos gentios que hão de crer (Ap 16, 15). O caráter da expressão 'ladrão de noite' não remete a um aspecto indesejado desse dia, mas ao aspecto de que sua vinda será inesperada. Se, pois, a aparição do Senhor também será como a de um ladrão para os crentes que hão de passar pela grande tribulação, e se 1 Ts 5,4 descreve que a nós este dia não apanhará como um ladrão, de surpresa, então só podemos entender que a Igreja não estará mais sobre a terra. Dois outros fatos também o confirmam: primeiramente, nós somos filhos do dia (verso 5 e 8), e, por isso, não seremos mais encontrados em nossas casas quando a noite de destruição, que culminará com o dia do Senhor, sobrevier de modo tão horrível sobre a terra. Segundo, o apóstolo fala expressamente que:

Deus não nos destinou para a ira (compare novamente cap. 1, 10), mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos em união com Ele' (v. 9 e 10). Nós esperamos o Senhor Jesus como o nosso salvador (Fp 3, 20), como aquele que nos salvará da ira vindoura, para que quando a ira de Deus for derramada sobre a terra, nós possamos viver com Ele, em toda a paz, no céu.

"É, mas eu continuo achando esta passagem de difícil com­preensão, e a sua argumentação não tão convincente."

"Eu porém creio que esta passagem é bastante compre­ensível. Mas se o senhor mesmo assim não a entende, eu não me surpreendo, aliás o senhor está em boa companhia: os Tessalonissenses também não compre­enderam muito bem as argu­mentações de Paulo. Tanto que ele toma a abordar o tema mais de perto em sua segunda carta."

"Eu ouvi  certa vez que Paulo teria se enganado em sua primeiro carta, corrigindo-se na segunda. O que o senhor acha?

"Eu considero tal pensamento digno de repúdio. Embora ele tenha sido expresso até por teólogos ortodoxos, ele afronta a inspiração da Escritura pelo Espírito Santo. Este pensamento é uma mera invenção destinada a sustentar urna doutrina fantasiada e falsa. Aquilo que Paulo ensina em 2 Tessa­lonicences não difere em nada daquilo que ele escreveu em 1 Tessalonicenses, antes, está em plena conformidade."

"Mas ele não escreveu em sua carta: 'nós, os vivos, os que ficarmos até a vinda do Senhor' (4, l5)? Os crentes concluíram então, erroneamente, que a vinda do Senhor estava multo próxima. Isto ele não teve que corrigir em sua segunda carta, quando expôs que o dia do Senhor ainda não estava por chegar (2, 2)?" 

"Não, esta versão se deve a um lastimável erro de tradução desse verso, inclusive este erro se repete em variadas traduções. O que Paulo reprovava nos tessalonicenses não era o fato de crerem estar perto o dia do Senhor (pois isto estava muito certo!), mas o de imaginar que este dia já estivesse acontecendo! O dia do Senhor estava e continua por vir; e de sua vinda, que faz parte deste dia, o Senhor diz, por exemplo quatro vezes no Apocalipse (3, 11; 22, 7 e 12 e 20), 'venho sem demora.' Não há mais nenhum acontecimento predito para antes do arrebatamento da Igreja, por isso o Senhor Jesus pode dizer, e com razão, que vem sem demora; por isso também Paulo, e com razão, podia dizer que a vinda do Senhor, para tomar a Igreja para Si, seria breve, talvez ainda até enquanto estivesse vivo.

E depois disto (como já foi comentado) viria o dia do Senhor, para punir os descrentes; só que a Igreja já não estará mais sobre a terra. E nisto consistia o erro dos Tessalonicenses, em imaginar que este dia já estivesse chegado. 'Supondo tenha chegado o dia do Senhor', a palavra 'chegado', no sentido de estar acontecendo é de fato a tradução correta, e fica confirmada pelo uso da expressão 'enistéml' (estar presente) em outras passagens na Escritura. Esta expressão certamente não significa 'estar por vir', tal como encontramos em Ro 8, 38 e 1 Co 3, 22, onde a palavra central 'presente' (ou: hoje) é assim traduzida justamente para se diferenciar de 'porvir' (ou: futuro), que tem em seu original grego uma palavra relativa diferente da nossa em questão. Mas também em Hb 9.9; Gil, 4 e 11l Co 7.26 ela significa 'presente'."

"Sim, mas qual o significado desta outra tradução (que Inclusive continua se repetindo em versões mais atualizadas)?"

 

ESTE DIA AINDA NÃO CHEGOU

"Ocorre que por esta pequena falha de tradução, todo o sentido da frase é alterado. Toda a argumentação do Apóstolo nos capítulos 1 e 2 intenciona demonstrar justamente que é impossível que os crentes experimentem este dia do Senhor. Analise a 2 carta, capítulo 1, por exemplo. Ali, nós lemos que os Tessalonicenses se encontravam em sérias perseguições e muita tribulação devido à sua fé.

Este fato em si já é uma boa prova de que o dia do Senhor ainda não havia chegado, pois neste dia os papéis estarão exatamente invertidos. A situação ali era de tribulação para os crentes e de bem-estar para os descrentes, enquanto que no dia do Senhor haverá tribulação para os descrentes e paz para os crentes (versos 4-10) 'Naquele dia' (verso 10), haverá retribuição aos opressores, enquanto que os que foram oprimidos gozarão de paz. Lago o dia do Senhor, quando dos céus se manifestar o Senhor Jesus (verso 7), ainda não poderia ter acontecido, enquanto os crentes estivessem passando por aflições. Nisto consistia a falha dos Tessa­lonicenses: eles estavam passando por um tempo de aflição e imaginavam que viviam o dia do Senhor, já que este dia é caracterizado por um tempo de aflição. Esqueciam, entretanto, que esta tribulação não viria sobre crentes (provando-lhes a fé), mas sobre os descrentes (com o fim de retribuir-lhes). Paulo, aliás, já lhes havia dito isso claramente em sua primeira carta: que o dia do Senhor traria destruição e ira sobre aqueles que vivem sem Deus (5, 3 e 9). Logo o engano não foi de Paulo, mas dos Tessalonicenses."

"Ah, o dia do Senhor seria então o dia da segunda vinda de Cristo (após sua ascenção) , se eu entendi bem; mas, em que ponto da segunda carta, reconhecemos que a Igreja também não passará pela época de Juízos (a 'grande tribulação'), que antecede este dia?"

"Fica evidente pelo capítulo 2.

O apóstolo insinua que eles deveriam ter se lembrado de que a Igreja seria arrebatada antes da execução dos juízos. Por isso nós o vemos fazendo urna exortação com respeito à vinda do Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com Ele. Na verdade, eles deveriam lembrar­-se disto. Pois na 1 carta ele já escrevera que o Senhor viria, arrebatando os crentes ao seu 'encontro' (4, 17; compare também Jo 14, 3), ou seja, que os viventes seriam reunidos aos ressuscitados e arrebatados ao encontro do Senhor. Vemos, então, que o apóstolo Paulo recorre ao conhecimento que eles já tinham acerca do arrebatamento da Igreja e também à sua crença em tal fato. Esta é a chave para o resto do capítulo."

"Este acontecimento, a vinda do Senhor Jesus para buscar sua Igreja, seria a 'manifestação de sua vinda', do verso 8?

"Não, justamente isto é que é importante. O verso trata de sua aparição ao mundo, para julgar os vivos e os mortos e aqui especialmente também o 'filho da perdição' (v.3) e aqueles que não acolheram o 'amor da verdade' (v. 1 O). E este dia de juízo é, como já havíamos visto, o mesmo que o 'dia do Senhor' (v.2). Vamos então atentar bem à seqüência dos acontecimentos. Os versos 3 e 4 nos mostram claramente que é impossível que o dia do Senhor venha antes de dois outros acontecimentos, ou seja: a) a 'apostasia' (decadência) e b) a revelação do 'homem da iniquidade', 'o filho da perdição', aquele que se 'opõe', o 'iníquo' (injusto - v.8); todos estes, títulos do anticristo. Este será o condutor da grande 'apostasia', pois é ele quem nega o Pai e o Filho (1 Jo 2, 22) e não confessa que Jesus Cristo veio em carne (2 Jo 7). Ele se levantará contra tudo o que se chama Deus, ou objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus,· ostentando-se como se fosse o próprio Deus (v.4)o Logo, antes que venha o dia do Senhor é necessário que venha primeiro a apostasia (a decadência da falsa cristandade) e o anticristo; mas ambas cousas somente poderão vir a acontecer depois de um outro acontecimento. Pois ainda existe algo que 'detém' a manifestação do 'iníquo', aliás, há dois aspectos: existe 'algo' que o detém (v.6), e 'alguém' que o detém (v.7). Enquanto isto ainda persistir, o iníquo não pode se manifestar. Com efeito, o mistério da iníquidade já está operando há tempo, mas em oculto (v.7), assim também lemos de João, que já naqueles dias muitos anticristos haviam surgidos (1 Jo 2,lS); mas o iníquo, o anticristo, somente se manifestará, quando 'aquele' que o detém ... for afastado (v. 6-8)."

 

AQUELE QUE O DETÉM

"Mas o que é este mistério que o detém, afinal?

"Ai é que está o problema agora.

Pelo menos o é para muitos teólogos, que já nem entendem que a Igreja será arrebatada antes que Deus exerça os seus juízos sobre a terra. Mas em 211 Ts 2, 1 o apóstolo ainda disse: Irmãos, não vos deixeis demover, lembrai-vos de nossa reunião com o Senhor Jesus no céu. Como é que vocês puderam pensar que o dia do Senhor já veio? Ele só pode vir quando o iniquo se houver manifestado. E esta manifestação só poderá vir a ocorrer quando aquele, que o detém, for retirado. Veja que Paulo não lhes está falando nada misterioso. Aqui se trata de algo, ou uma pessoa, que os Tessalonicenses conheciam muito bem e que, inclusive, o Senhor também conhece. Bem, que cousa e que pessoa ainda se encontra sobre a terra, que detém a plena manifestação do mal, mas que em breve será removida da terra, permitindo que em seguida ocorra a apostasia definitiva da cristandade que apenas toma o nome de Cristo, e também a manifestação do falso cristo?

Vou perguntar diferente: que elemento divino ainda se encontra sobre a terra, que é uma barreira contra o mal, e que precisa ser removido?"

"Eu acho que já sei o que o senhor está pensado. Não pode ser outra cousa a não ser a Igreja. Mas eu ainda não entendi a diferença entre esta 'cousa' e esta 'pessoa’."  

"Pois bem; de que maneira a Igreja, no mundo, toma-se um sol atuante e uma luz que ilumina? Tem os membros da Igreja alguma força em si mesmos? Não - Lance um olhar no verso 13 de 2 Tes 2. Sua santificação se realiza pelo Espírito; e na 1 carta lemos: sua alegria é do Espírito Santo (1,5). Deus é Quem lhes deu o Seu Espírito Santo (4, 5). O corpo de todo o crente individualmente, mas, também a Igreja, como um todo, é chamado "o templo do Espírito Santo." (1 Co 6, 12; 3, 16). O Espírito Santo veio à terra no dia de Pentecostes, e fez da Igreja a Sua morada; além disso, o próprio Senhor Jesus nos ensinou que este Espírito da Verdade, estaria conosco para sempre (João 14, 16.17). Quando, pois, a Igreja for arrebatada, também o Espírito Santo voltará ao céu. Depois disto o Espírito Santo continuará agindo na terra, principalmente, quando pessoas se converterem naquele tempo. Mas a habitação de Deus, o Espírito Santo, será eternamente a

Igreja, no céu. Creio que "aquilo" que detém a apostasia e o anticristo é a Igreja; e "aquele" que o detém, é o Espírito Santo. Podemos ver isso bem claro em 1 João 4, 1-4, onde o apóstolo contrasta o Espírito de Deus com o espírito do anticristo, dizendo no verso 4: "Porque aquele que está em vós (isto é, o Espírito Santo) é maior do que aquele que está no mundo" (isto é, o espírito do anticristo) o Quando a Igreja juntamente com o Espírito Santo) for arrebatada, o mal se desenvolverá totalmente. A cristandade nominal que fica, vai apóstatar totalmente, vai negar os fundamentos da fé cristã e aderir à adoração mundial do anticristo. Ao mesmo tempo (como podemos ler em Apocalipse), Deus mandará a "hora de provação" sobre a terra, um tempo de castigo, de juízos, para que muitos, que ainda não tinham ouvido a Verdade (os outros serão endurecidos, conforme 2 Ts 2,9-12) possam se converter. De fato haverá, tanto de Israel como das nações, um remanescente (resto) que se converterá, o qual passará por horrendas tribulações promovidas pelos incrédulos (o anticristo e seus aliados). Porém, ai virá o Senhor Jesus com a Igreja dos céus para julgar os ateus e salvar estes crentes. Estes entrarão no Reino de paz, e o Senhor Jesus, com a Igreja glorificada, reinará sobre a Criação. "

 

Porque não cura qualquer pessoa?(mesmo, quando tem fé).